Desde que me tornei fluente em inglês, descobri uma nova paixão: assistir a filmes em sua versão original. Meu filme favorito em inglês é Dead Poets Society, dirigido por Peter Weir e lançado em 1989.

Primeiramente, a atuação dos atores é excelente. Robin Williams interpreta o personagem principal, John Keating, um professor de literatura de uma escola preparatória para meninos. Williams consegue transmitir uma mistura de calma, sabedoria e rebelião que é fundamental para o personagem. Além disso, os jovens atores que interpretam os alunos são igualmente talentosos. O grupo de amigos que protagoniza a história é formado por personagens diferentes e únicos, e cada um deles tem sua própria jornada emocional ao longo do filme.

O enredo também é fascinante. O filme conta a história de um grupo de alunos que, sob a orientação do professor Keating, aprendem a pensar por si mesmos e questionar as convenções sociais. A mensagem principal do filme é sobre a importância de seguir seus sonhos e ser fiel a si mesmo, mesmo que isso signifique enfrentar os padrões da sociedade ou desagradar as expectativas dos outros. É uma mensagem poderosa que me toca profundamente a cada vez que assisto ao filme.

Além disso, a trilha sonora do filme é maravilhosa e contribui para a atmosfera emocionante da história. As cenas são habilmente filmadas e a direção de arte é impecável, criando uma experiência visual verdadeiramente envolvente.

O filme me faz sentir uma ampla gama de emoções: esperança, entusiasmo, tristeza, raiva, frustração. É uma jornada emocional completa que sempre me deixa com uma sensação de inspiração e admiração pela obra como um todo.

Em resumo, Dead Poets Society é meu filme favorito em inglês porque é uma obra-prima cinematográfica que destaca a importância de seguir seus sonhos e ser fiel a si mesmo. A atuação excepcional dos atores, o enredo envolvente e a trilha sonora emocionante criam uma experiência cinematográfica que me toca profundamente. Se você ainda não assistiu a este filme, fica a minha recomendação, vale muito a pena vivenciar essa obra de arte.