A história dos The Germs se inicia em Los Angeles, nos Estados Unidos, no final da década de 1970. O punk rock era uma febre crescente na região e jovens começavam a se reunir para produzir e escutar as músicas mais brutais e provocadoras do movimento.

Foi então que conheceram Darby Crash, um jovem talentoso e criativo, com uma visão muito própria do que deveria ser o punk rock. Ele se tornaria o vocalista da banda, que contava ainda com Pat Smear na guitarra, Lorna Doom no baixo e Don Bolles na bateria.

Os The Germs rapidamente se destacaram no cenário musical de Los Angeles, com suas performances caóticas e a energia inigualável de Darby em cima do palco. Com a ajuda do produtor Jerry Finn, lançaram seu primeiro álbum, GI, em 1979, que é considerado um dos clássicos do punk rock.

A banda estava em ascensão, com shows lotados e fãs fiéis seguindo-os por toda a cidade. No entanto, os excessos começaram a ter um preço alto, com brigas, escândalos, drogas e álcool descontrolados. Darby Crash parecia estar cada vez mais mergulhado em uma espiral autodestrutiva.

Em 1980, tudo chegou ao fim quando Darby cometeu suicídio apenas dois dias após o último show da banda. Ele deixou para trás uma legião de fãs, que ainda se inspiram em sua criatividade e coragem até hoje.

Os The Germs foram uma das bandas mais importantes do punk rock americano, influenciando gerações de músicos e fãs com suas músicas e atitudes. O legado de Darby Crash e sua banda pode ser visto em diversos artistas que se seguem o mesmo caminho e carregam consigo a mesma essência e vontade de mudar o mundo através da música.